Parábola

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Parábola

Mensagem por Convidad em Sex Jun 27 2008, 01:36

Havia um homem muito rico, possuidor de vastas propriedades, que era apaixonado por jardins. Os jardins ocupavam o seu pensamento o tempo todo e ele repetia sem cessar: O mundo inteiro ainda deverá transformar-se num jardim. O mundo inteiro deverá ser belo, perfumado e pacífico. O mundo inteiro ainda se transformará num lugar de felicidade.

As suas terras eram uma sucessão sem fim de jardins, jardins japoneses, ingleses, italianos, jardins de ervas, franceses. Dava muito trabalho cuidar de todos os jardins. Mas valia a pena pela alegria. O verde das folhas, o colorido das flores, as variadas simetrias das plantas, os pássaros, as borboletas, os insectos, as fontes, as frutas, o perfume… Sozinho ele não daria conta Por isso anunciou que precisava de jardineiros. Muitos se apresentaram e foram empregados.

Aconteceu que ele precisou de fazer uma longa viagem. Iria a uma terra longínqua comprar mais terras para plantar mais jardins. Assim, chamou três dos jardineiros que contratara, e disse-lhes: Vou viajar. Ficarei muito tempo longe. E quero que vocês cuidem de três dos meus jardins. Os outros, já providenciei quem cuide deles. A você, Paulo, eu entrego o cuidado do jardim japonês. Cuide bem das cerejeiras, veja que as carpas estejam sempre bem alimentadas… A você, Hermógenes, entrego o cuidado do jardim inglês, com toda a sua exuberância de flores espalhadas pelas rochas… E a você, Boanerges, entrego o cuidado do jardim mineiro, com romãs, hortelãs e jasmins.

Ditas essas palavras, partiu. Paulo ficou muito feliz e pôs-se a cuidar do jardim japonês. Hermógenes ficou muito feliz e pôs-se a cuidar do jardim inglês. Mas Boanerges não era jardineiro. Mentira ao oferecer-se para o emprego. Quando ele viu o jardim mineiro disse: Cuidar de jardins não é comigo. É demasiado trabalho…

Trancou então o jardim com um cadeado e abandonou-o. Passados muitos dias voltou o Senhor, ansioso por ver os seus jardins. Paulo, feliz, mostrou-lhe o jardim japonês, que estava muito mais bonito do que quando o recebera. O Senhor dos Jardins ficou muito feliz e sorriu. Hermógenes mostrou-lhe o jardim inglês, exuberante de flores e cores. O Senhor dos Jardins ficou muito feliz e sorriu.

E foi a vez de Boanerges… E não havia forma de enganar: Ah! Senhor! Preciso de confessar: não sou jardineiro. Os jardins dão-me medo. Tenho medo das plantas, dos espinhos, das lagartas, das aranhas. As minhas mãos são delicadas. Não são próprias para mexer na terra, essa coisa suja…

Mas o que me assusta mesmo é o facto das plantas estarem sempre a transformar-se: crescem, florescem, perdem as folhas. Cuidar delas é uma trabalheira sem fim.

Se estivesse em meu poder, todas as plantas e flores seriam de plástico. E a terra estaria coberta com cimento, pedras e cerâmica, para evitar a sujeira. As pedras dão-me tranquilidade. Elas não se mexem. Ficam onde são colocadas. Como é fácil lavá-las com esguichos e vassoura! Assim, eu não cuidei do jardim. Mas tranquei-o com um cadeado, para que os traficantes e os vagabundos não o invadissem.

E com estas palavras entregou ao Senhor dos Jardins a chave do cadeado. O Senhor dos Jardins ficou muito triste e disse: Este jardim está perdido. Deverá ser todo refeito. Paulo, Hermógenes: vocês vão ficar encarregados de cuidar deste jardim. Quem já tinha jardins ficará com mais jardins.

E, quanto a você, Boanerges, respeito o seu desejo. Não gosta de jardins. Vai ficar sem jardins. Gosta de pedras. Pois, de hoje em diante, irá partir pedras na minha pedreira…

(Rubem Alves)

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Parábola

Mensagem por Convidad em Dom Ago 03 2008, 21:11

uma certa ves um homem muito pobre quase morendo de fome encontrou treis animais
uma raposa um urso e uma lebre a raposa com sua astucia roubou uma uva para o homem
o urso com sua forsa lhe trouse um galho cheio de maçans a lebre indefesa e pequena
nao tinha nada a ofereçer ao homem e do nada ela saltou para cima do fogo sacrificando
a propia vida para alimentar o velho homem.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Parábola

Mensagem por Léo em Sex Ago 22 2008, 09:58

Holden, que bela fatia de leitura! Mais um de Rubem Alves que não precisa ser extravagante para falar muito e para todos.

Eu gostei, de verdade, e de uma maneira simples, cheguei a pensar que o jardim iria estar tão bem qnto o dos outros, talvez, de uma forma ingênua, imaginei que pelo curso natural, as coisas aconteceriam independentes da ação do falso jardineiro, e que a beleza do jardim possuísse fonte própria de beleza e vitalidade. Por isso, algo me surpreendeu nesse texto, quando ele de forma generosa demonstra que o Senhor dos Jardins, move o falso jardineiro para sua pedreira. É simples, que o falso jardineiro, será fadado a uma vida de desgostos por quebrar e limpar pedras em seu tempo integral de serviço. Foi simplismente o que ele pediu, o que ele escolheu. Sua vida se limitou ao pragmatismo do mínimo esforço. As pedras não precisam ser cuidadas, não se transformam naturalmente, não sujam o local tanto quanto as flores. Porém, quem viverá muito tempo entre o pó das pedras, entre o vazio acimentado, as limpas rochas que a tudo resistem e a ninguém beneficia?!

Escolhemos ir pelo caminho das pedras ou o dos jardins. A vida pode ser simples e bela, fria e prática, complicada e cheia de conquistas, tecnologicamente avançada e solitária. É uma reflexão a fazer.

============

Já a outra parábola do homem pobre, acho q ... hãm?! (oO)

_________________
Razz

Léo
Baiano

Masculino
Número de Mensagens : 353
Idade : 35
Localização : Planeta 935
Humor : inteligente/sagaz
Data de inscrição : 09/05/2008

Ver perfil do usuário http://unagui.forumbom.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Parábola

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 18:47


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum